terça-feira, 30 de maio de 2017

PELA BD DOS OUTROS (23) - A BD DA TURQUIA

Localização geográfica da Turquia
Com uma longa História, bem confusa e de acções terríveis, hoje, a Turquia é uma república com a capital em Ancara, tendo como moeda a lira turca.
Através dos séculos, com andanças e mudanças, é uma nação que, tal como a Rússia, se demarca por dois continentes: a Ásia e a Europa.
Pertence à OTAN e deseja ardentemente ser membro da União Europeia... Calma aí!... Por muito que este país euro-asiático nos atraia por registos histórico-culturais, nada dele nos garante um qualquer desafogado sorriso... Tem regras prepotentes, onde, apesar do seu laicismo (graças ao seu grande líder Mustafa Kemal Atatürk), tudo anda por lá agora numa grande confusão de ambições político-religiosas...
Nos seus aspectos próprios, lembramos os seus famosos derviches (maravilhosos e estonteantes dançarinos místicos) e os seus cruéis e quase lendários janízaros...
Para além de Ancara (na zona asiática), a principal cidade (situada na pequena parte europeia) é Istambul, que já foi Bizâncio, Nova Roma e Constantinopla.
Culturalmente, registam-se o arquitecto Mimar Sinam e o escritor Orham Pamuk (Prémio Nobel da Literatura-2006).
Pelos desportos, os favoritos são o futebol, o basquetebol, o voleibol e a modalidade nacional, o yagli güres, um tipo de luta livre muito especial.
A Banda Desenhada, tem uma grande e aplaudível legião de desenhistas, da qual salientamos apenas alguns desses valores: Issk Ozbay, Suat Ozkan...

Tayyar Ozkan...

Turhan Selçuk...

Yalçin Didman...

Gürcan Gürsel (com alguns álbuns da série “Os Campeões” traduzidos em Portugal)...

Suat Yalaz...

Aral Oguz...


Erer Ramize...


Özkan Gürcan...

Yildiray Çinar...
Warlock e Aquaman, dois super-heróis pelo traço de Yildiray Çinar

Mahmud Anjum Asrar, etc.
 

Há que descobrir, pacientemente, estes valores.
A Turquia tem Embaixada em Portugal na Avenida das Descobertas, n.º 22, 1400.092 LISBOA.
LB

quinta-feira, 25 de maio de 2017

NOVIDADES EDITORIAIS (119)

LEGIO NOSTRA - Edição Lombard. Autores: argumento de Hervé Loiselet e arte gráfica de Benoît Blary.
Através dos anos, o tema da Legião Estrangeira tem entusiasmado uma multidão de leitores, cinéfilos e bedéfilos. Esta organização militar nasceu a 10 de Março de 1831, no reinado do monarca francês Louis Philippe. Tem actuado em diversas regiões, sendo hoje considerada uma tropa de elite. A sempre saudosa Edith Piaf, num dos seus imensos êxitos, tem a famosa canção “Mon Legionaire”...
Na Literatura, destacamos duas obras biográficas: “Doze Anos na Legião Estrangeira” de Sydney Tremayne e “Chegar É Já Em Si Bastante” de José da Câmara Leme. Mas há também romances fantasistas (alguns deles transpostos ao Cinema e à Banda Desenhada), como “Beau Geste” de Percival Christopher Wren e “Sob Duas Bandeiras” de Ouida (pseudónimo de Maria Luisa de la Romée). Ainda pela 9.ª Arte, conta-se o recente álbum “Camerone - Avril 1863”, sob edição Delcourt.
Agora, pela Lombard, uma muito preciosa obra em BD: “Legio Nostra, la Légion Étangère d’Hier et d’Aujourd’hui”. Trata-se da História deste ramo militar, com uma exaustiva e elucidativa documentação a acompanhar, intercaladamente, as páginas preenchidas com heróicas pranchas.


LE HÉROS - Edição Soleil. Autores: argumento de Patrice Lesparre, traço de Fabio D’Auria e Roberto Viacava e cores de Nuria Sayago.
“Le Héros” é o oitavo tomo da série “Oracle”.
Seguindo uma ideia programada de uma viagem pela Grécia Antiga que narra as vinganças dos mortais contra os caprichosos deuses do Olimpo, não é dos mais conseguidos episódios desta série.
Nota curiosa: no fantasista final, marca-se o surgimento, também fantasista, do vampirismo humano... Doideiras da Banda Desenhada!


HENRIQUET, L’HOMME-REINE - Edição Delcourt. Autor: Richard Guerineau.
Numa França dilacerada por uma guerra de religiões e onde muitas intrigas e conspirações se urdiam, é o ambiente que aqui se retrata...
Foca o argumento a vida complicada, devassa e atrapalhada de Henri III de França, quarto filho de Henri II e da terrível e poderosa Catherine de Médicis, tendo nascido em 1551. Como Henryk Walezy (Henri de Valois), era rei da Polónia, que ele detestava. Pela morte de seu irmão, o rei Charles IX, é secretamente chamado, de urgência, a França...para subir ao trono. Com dois favoritos, sem dizer “água vai” a ninguém do reino que dirigia, foge para o seu país. Mas em França, tudo foi um constante e conturbado desassossego!...
Jovem, belo, caprichoso e politicamente sem qualquer devida orientação, ligava pouco e sem consciência devida à sua função, interessando-se muito mais pelos seus favoritos (os mignons), dado que era quase nada viril, apesar de ter casado em 1575 com Louise de Vaudémont, donde não houve descedência. Em 1589, foi assassinado por Jacques Clément, um fanático monge católico.
Com este tomo, Richard Guerineau, apresenta-nos, jocosamente, um divertido e denso romance gráfico, que revela um período histórico tão complexo como apaixonante.
LB

segunda-feira, 22 de maio de 2017

TALENTOS DA NOSSA EUROPA (21) - VIOREL PÎRLIGRAS (Roménia)

Viorel Pîrligras
Licenciado em Arte, é um talentoso e febril criador da 9.ª Arte, diversificando-se em várias linhas criativas.
Chama-se Viorel Pîlrigras, tendo nascido em Turnu Severin (Roménia) a 29 de Janeiro de 1959.
Colaborou nos anos 70 para as revistas “Cutezãtoril” e “Pif Gadget”.
Em 1983, iniciou-se seriamente como profissional da Banda Desenhada com narrativas de ficção científica para publicações romenas, como “Almanah Anticipatia” e “Orion”.
"Poarta", banda desenhada publicada na revista "Almanah Anticipatia"

Depois, imparável, tem colaborado para diversas publicações do seu país, mas também, para a Bélgica, Dinamarca e Suécia.
Renovou a ideia de tiras diárias em jornais e criou a novidade da “Banda Desenhada Rock”.
Da sua já extensa obra, toda ainda inédita em Portugal, contam-se séries e/ou álbuns, como “Oscar”...

“Cosmogonii S9 E3”...

“Escala Pe Tobra”...

“Lumi Paralele”, “Caragiale”, “Prinde Visul”...

“Bâlciul”, “Buluk...

“Aurul Planetei”, “Polifonia”...

“Nostalgic Blues”, etc.

Em 1993, com o título “Contele de Morte Cnisto”, criou uma paródia à obra de Alexandre Dumas, “O Conde de Monte Cristo”, para a publicação “BD Strip Top”.
Independentemente do seu trabalho gráfico, a preto-e-branco e/ou a cores, também é autor de vários romances de ficção científica.
Será que o vamos conhecer (ao vivo) por cá ou talvez, através de algumas obras suas editadas em português?...
LB


sexta-feira, 19 de maio de 2017

BREVES (43)

BEJA-BD ARRANCA A 26 DE MAIO!
O Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja realiza-se este ano entre 26 de Maio e 11 de Junho, abraçando exclusivamente o Centro Histórico da cidade e em especial o Largo do Museu Regional, epicentro desta Festa da BD.

Para além das 18 exposições, o Festival oferece aos visitantes uma programação paralela bastante diversificada onde pontuam as apresentações de projectos, as conversas à volta da BD, o lançamento de livros, as sessões de autógrafos, workshops, concertos desenhados, etc, etc. 

O Festival tem também à disposição dos visitantes o Mercado do Livro - a maior livraria do país durante este período, com mais de 60 editores presentes - e uma zona comercial com várias tendas instaladas (venda de action figures, arte original, posters, prints, etc).

O Festival inaugura sexta-feira, 26 de Maio, às 21:00 horas, no Pax Julia - Teatro Municipal.

Toda a programação pode ser consultada aqui.


SANTO ANTÓNIO EM PORTALEGRE

No próximo Domingo, 21 de Maio, pelas 18:00 horas, no Centro de Artes e Espectáculos de Portalegre, ocorrerá a apresentação pública do álbum "Santo António em Banda Desenhada".
Recorde-se que este é o mais recente trabalho de Mestre José Garcês, o decano dos nossos desenhadores. 
A apresentação estará a cargo do Professor António Martinó, sendo que o autor da obra estará presente para uma sessão de autógrafos.


JOSÉ RUY ENCARNA EINSTEIN
Após 87 anos (feitos recentemente) de dedicação à BD e à Ilustração, Mestre José Ruy decidiu fazer - por um dia - uma breve pausa nos inúmeros projectos que tem entre mãos e experienciar outra forma de Arte, o Teatro, encarnando a figura de Albert Einstein, num pequeno sketch que esteve em cena no auditório da Biblioteca Municipal da Amadora.
Uma conversa imaginária entre Einstein, Calamity Jane e Simon Bolivar deu o mote para que José Ruy (que praticamente nem precisou de caracterização, tais eram as semelhanças físicas entre o desenhador português e a personagem que interpretava) se estreasse como actor.
No dia 30 de Maio, repete-se a representação, no Teatro de Alfornelos, da Companhia «Passagem de Nível».
Parabéns, Mestre José Ruy!


SEGUNDA VEZ, UMA SÉRIE DE PRIMEIRA!...
Gaspar Trevo (texto) e Rui Lacas (desenho) estão a produzir uma excelente série online sob o título Segunda Vez.
A história passa-se numa Lisboa alternativa e é publicada em episódios semanais no site www.segundavez.pt.
Segunda Vez é um ebook gratuito, que reúne as características de um livro e as modalidades de uma série. Há novos capítulos todas as semanas para ler online ou descarregar em formato epub, mobi e pdf.
O que esperam para lhe fazer uma visita?



FESTIVAL DE MALBROUCK



De 3 a 5 de Junho, realiza-se no Castelo de Malbrouck (ou Mensberg), na região de Moselle (França), um festival de BD, cujo cartaz foi elaborado por Hermann, que marcará presença, entre muitos outros, como Paul Teng, Jean Pleyers, André Taymans, Jean Torton, Christophe Simon, etc.
Sob o lema “Malbrouck s’en va en Guerre”, o tema desta festa-BD é, precisamente, a guerra na Banda Desenhada.
Sera também recordado o desenhista norte-americano Jack Kirby (1917-1994).



ANIVERSÁRIOS EM JUNHO


Dia 03 - Roger Widenlocher (francês)
Dia 09 - André Juillard (francês) e Theo Caneschi (italiano)
Dia 10 - António Carichas
Dia 11 - Isabel Lobinho
Dia 14 - Dodo Nitá (romeno), Cosey (suíço) e Luís Louro
Dia 16 - Armando Servais Tiago
Dia 24 - Séra (franco-cambojano)
Dia 27 - Jean Pleyers (belga)

segunda-feira, 15 de maio de 2017

HERÓIS INESQUECÍVEIS (47) - STORM

Este herói nasceu oficialmente na Holanda, no número 11 da revista “Eppo”, a 18 de Março de 1977.
“Storm” filia-se na galeria de heróis do género ficção cinetífica, como Buck Rogers, Flash Gordon, Brick Bradford, Valérian, etc.
Don Lawrence
Todavia, a grande força deste herói-série recai na espectacular arte gráfica do inglês Don Lawrence (1928-2003), já famoso pela série “O Império de Trigan”. Curiosamente, os estilos de Lawrence e o do espanhol Segrelles, são muito próximos...
No primeiro tomo, o argumentista foi o britânico Saul Dunn. Mas logo depois, foram aparecendo outros argumentistas que se alternaram, como os holandeses Martin Lodewijk e Dick Matena, o inglês Kelvin Gosnell e até o próprio Don Lawrence.
Com pouco mais de uma vintena de álbuns, as aventuras de Storm têm sido publicadas em diversos países,como Holanda, Inglaterra, França, Espanha e Brasil.
Em Portugal, esta série foi publicada pelos "Amigos do Livro" que editaram dois álbuns, nos anos 80.
Capa da revista holandesa "Eppo", dedicada a "Storm"
Este valente e espadaúdo herói, a seu tempo, encontra uma companheira, a bela, provocante e sedutora Redhair. Irresistivelmente estonteante!... 
Storm é um piloto aviador, quase um astronauta, que, por estranho capricho cósmico, vai parar, só e um tanto perdido, num estranho e enigmático planeta. Bem que tanto deseja regressar à sua vida normal na Terra, mas está completamente desbusssolado e daí, as aventuras sucedem-se, umas atrás das outras.

Tudo isto pode parecer que “já foi visto”... Contudo, é a arte de Lawrence que nos apaixona por estas narrativas. Arte, onde não falta toda a sua veia de Pintor.
A série tem duas partes. A primeira, em nove tomos, atravessa diversas épocas na Terra até ao Apocalipse.... A segunda fase, que continua, já com mais de uma dezena de álbuns e sob o título comum de “As Crónicas de Pandarve”, tem uma força nova, evolutiva e sempre bem entusiasmante.
Fiquem-se, por hoje, com o herói-BD Storm e com o seu exemplar desenhista, Don Lawrence. Do you?...
LB